terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

UM PARAÍSO POSSÍVEL E SECRETO

"Filhos do Paraíso" (Bacheha-Ye aseman) é um filme lindo. E isso resume perfeitamente essa mágica história contada em pouco mais de uma hora. O filme, do iraniano Majid Majidi, apesar de falado em persa e ambientado nos subúrbios de Teerã, oferece uma história de valores universais e por isso tão tocantes. É impossível não sucumbir à relação de cumplicidade entre os irmãos Ali e Zahra, que se tornam parceiros e comparsas na divisão diária - e secreta - de um par de tênis velhos. Filhos de uma família muito pobre e muito digna, os irmãos surgem na tela como príncipes. O enredo não poderia ser mais simples. O jovem Ali, que descobrimos ser um menino de ouro, bom filho, bom irmão, bom aluno, perde os sapatinhos (surrados) da sua irmã, Zahra, que estavam sendo consertados. Desesperado, pede que ela não conte aos seus pais o ocorrido, ao que ela concorda - apesar de alguma relutância (mais do que natural). Para sustentar a "mentira" os dois combinam dividir o tênis de Ali, de maneira que ela usa pela manhã e entrega ao meio dia para ele, que corre desesperadamente para não chegar atrasado à escola.
A pequena Zahra, porém, não se conforma de ter que usar "sapatos de menino" na escola, sem contar o fato de eles serem grandes demais para os seus pés. Mas seu irmão fica determinado em resolver esse problema e uma luz de esperança desponta no horizonte: uma corrida na escola, que dará como prêmio, ao terceiro colocado, um par de tênis novos. Eis a solução. Ali promete chegar em terceiro e conquistar o sapato para sua irmã. E aí está o filme. Um terremoto delicado sobre as nossas certezas, padrões e valores. Um filme inesquecível, precioso, belo, que toca facilmente a alma e o coração, fazendo-nos crer que a beleza da vida está justamente na sua simplicidade.

Um comentário:

Claudio disse...

esse filme é muito bom. Bonito demais. Apesar de ser designer, não gosto muito de filmes de arte. ( Me deixam entediado ) Filhos do paraíso não é diferente, mas realmente é muito bonito.